| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

JORNAL PÁGINA 1
Desde: 28/08/2003      Publicadas: 55      Atualização: 20/03/2006

Capa |  CIDADE  |  COMUNICAÇÃO  |  CRÍTICA DA CRÍTICA  |  CULTURAL  |  ECONOMIA  |  EDUCAÇÃO  |  ENTREVISTAS  |  ERMELINO MATARAZZO  |  ESPORTES  |  GUAIANASES  |  HISTÓRIA  |  INFORMÁTICA  |  ITAIM PAULISTA  |  ITAQUERA  |  PÁGINA 1  |  POLÍTICA  |  SÃO MIGUEL  |  ÚLTIMAS


 ÚLTIMAS

  20/04/2004
  0 comentário(s)


Campanha Mundial 2004-2005 de prevenção da Aids

Realização do evento foi acertada durante reunião entre a prefeita Marta Suplicy e a representante do Unaids no Brasil, Telva Barros

A prefeita Marta Suplicy recebeu a representante do Programa das Nações Unidas para a Prevenção das Doenças Sexualmente Transmissíveis /Aids
(Unaids) no Brasil, Telva Barros, e juntas anunciaram, na tarde desta quinta-feira (15), que o próximo lançamento da Campanha Mundial 2004-2005, cujo tema será a prevenção entre mulheres, será feito em São Paulo.
"Temos uma parceria de longa data com a Prefeitura de São Paulo que está se consolidando. Por isso, o lançamento da próxima campanha do Unaids para o próximo biênio será feito aqui. Vamos agendar com as secretarias da Educação e da Saúde para que o lançamento ocorra num dos CEUs (Centro Educacional Unificado), conforme sugerido pela prefeita".
Marta Suplicy participou de um evento em Londres, no dia 2 de fevereiro desse ano, com outras lideranças mundiais. "Estiveram presentes mulheres
de expressão na luta contra a epidemia, e Marta Suplicy foi escolhida como a representante brasileira no Comitê Gestor do Grupo de Coalizão Global
> para Mulheres e Aids do Unaids", disse Telva Barros. "Uma parceria
> estratégica, como é essa com a Prefeitura de São Paulo, dá muita
> visibilidade ao programa das Nações Unidas no Brasil e pode servir de
> exemplo para outras capitais e outros países", afirmou Telva.
> A prefeita de São Paulo sugeriu, ainda, que, durante o lançamento da
> campanha, seja feita a apresentação de uma peça de teatro pelos jovens dos
> CEUs. Ainda falta acertar os detalhes quanto à data do evento, mas deverá
> acontecer no primeiro semestre.
>
> Números da Aids em São Paulo
> Entre 2001 e 2002, o surgimento de casos novos apresentou queda em ambos
> os sexos. Entre os homens, o número de novos casos diminuiu de 44 para 38
> novos casos por 100 mil habitantes. Entre as mulheres, esta queda foi
> menor: de 22 para 19 novos casos por 100 mil habitantes. Isto significa
> que, embora os homens ainda tenham apresentado em 2002 mais casos novos de
> Aids (1.911) do que as mulheres (1.042), no sexo feminino a epidemia vem
> diminuindo em velocidade menor. Enquanto no mundo as mulheres já
> representam 50% da epidemia, na cidade de São Paulo a razão de sexo é de
> 1.8 homem para cada mulher. Uma provável explicação para isto é o peso
> expressivo da categoria homossexual e UDI em nossa cidade.
> De acordo com o último Boletim Epidemiológico da Aids, da Secretaria
> Municial da Saúde, a cidade de São Paulo tem hoje 55.772 casos notificados
> de Aids, o que corresponde a aproximadamente 20% dos 277.154 casos do
> país. No município, entre 2001 e 2002, a incidência de Aids diminuiu de 32
> para 28 casos por 100 mil habitantes. Em 2002, foram registrados 2.953
> novos casos de Aids na cidade, contra 3.409 em 2001.
>
> Ações da Prefeitura
> A Prefeitura de São Paulo dá atenção às vítimas da epidemia ao mesmo tempo
> em que se empenha em uma ampla ação de prevenção junto aos quase 11
> milhões de habitantes do município. São elas:
> - distribuição de camisinhas: no primeiro ano de governo foram
> distribuídas 3 milhões. Em 2002, 4,5 milhões, e, em dezembro de 2003,
> atingiu 10 milhões;
> - redução de danos: foram distribuídas cerca de 100 mil seringas para
> usuários de drogas injetáveis dentro do Projeto de Redução de Danos da
> área de DST/Aids, evitando novas doenças, em especial hepatites e o HIV;
> - a testagem "Fique Sabendo": o conhecimento da condição sorológica é uma
> das medidas mais importantes para prevenção e tratamento. Por isso, nos
> três anos de governo, triplicou o número de testes de HIV realizados nas
> unidades municipais de DST/Aids: de 6 mil testes/mês em janeiro de 2001,
> para 18.751 testes/mês em novembro de 2003. No ano de 2003, foram
> implantados os serviços de testagem do HIV, em especial nas regiões mais
> distantes da cidade, áreas onde hoje a epidemia atinge com mais força a
> população.
> - treinamento de profissionais de saúde da rede pública municipal: para
> controle da transmissão do HIV e da sífilis da gestante para o bebê na
> cidade;
> - parcerias com o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo e
> com hospitais e maternidades da rede privada e conveniada do SUS: para
> expandir esta ação;
> - publicação da Portaria da SMS: oferecimento obrigatório da testagem de
> sífilis e HIV às gestantes, por todos os serviços de saúde municipais.
> - criação de Grupo de Trabalho Intersetorial: para planejamento e
> avaliação das ações desenvolvidas para o controle da Transmissão Vertical
> no município.
> - prevenção dialogada: implantação de ações de agentes de prevenção junto
> a populações mais vulneráveis às DST/Aids, desenvolvidas nas comunidades
> ou nestes grupos. Incluem a apresentação dos serviços municipais de saúde
> como referência para orientações, consultas, testes e retirada de insumos
> gratuitos. São profissionais do sexo e travestis (Projeto "Tudo de
> Bom!"), homens que fazem sexo com homens ("Cidadania Arco-Íris"), mulheres
> (Projeto "Elas por Elas"), usuários de drogas injetáveis - UDIs (Projeto
> de Redução de Danos - PRD Sampa); jovens (Plantão Jovem) etc.





Capa |  CIDADE  |  COMUNICAÇÃO  |  CRÍTICA DA CRÍTICA  |  CULTURAL  |  ECONOMIA  |  EDUCAÇÃO  |  ENTREVISTAS  |  ERMELINO MATARAZZO  |  ESPORTES  |  GUAIANASES  |  HISTÓRIA  |  INFORMÁTICA  |  ITAIM PAULISTA  |  ITAQUERA  |  PÁGINA 1  |  POLÍTICA  |  SÃO MIGUEL  |  ÚLTIMAS
Busca em

  
55 Notícias