| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

JORNAL PÁGINA 1
Desde: 28/08/2003      Publicadas: 55      Atualização: 20/03/2006

Capa |  CIDADE  |  COMUNICAÇÃO  |  CRÍTICA DA CRÍTICA  |  CULTURAL  |  ECONOMIA  |  EDUCAÇÃO  |  ENTREVISTAS  |  ERMELINO MATARAZZO  |  ESPORTES  |  GUAIANASES  |  HISTÓRIA  |  INFORMÁTICA  |  ITAIM PAULISTA  |  ITAQUERA  |  PÁGINA 1  |  POLÍTICA  |  SÃO MIGUEL  |  ÚLTIMAS


 ITAIM PAULISTA

  12/05/2004
  0 comentário(s)


Orçamento do Itaim Paulista/Vila Curuçá subiu de R$ 7 milhões para R$ 112 milhões com a Subprefeitura

A transformação da antiga Administração Regional em Subprefeitura resultou num crescimento do volume de recursos destinados ao distrito - que também inclui a Vila Curuçá. De 2001 a 2004, os Orçamento cresceu de R$ 7 milhões para R$ 112 milhões em 2004, segundo dados da Coordenadoria de Finanças do governo local.

“Isso só foipossível porque nos tornamos um
Órgão Orçamentário. Temos mais liberdade para executar o nosso Orçamento”, explica o subprefeito João Francisco.
O Orçamento cobre despesas com folha de pagamentos, concessionárias, manutenção, aluguéis
e outros gastos fixos. Para investimentos, o valor disponível neste ano chegou à cifra de
R$ 1,8 milhão. O subprefeito reconhece que
as mudanças não são rápidas “como se queria”, mesmo com um volume maior de recursos.
“Esse é um processo de transição, mas nós já temos condições de intervir nas áreas e regiões
que eram das secretarias.
João exemplifica: “O administrador regional tinha um poder limitado na aprovação de plantas”. Cabia à Secretaria da Habiação (Sehab) a decisão sobre
o assunto. Além dos pareceres de secretarias, hoje são levados em conta os pareceres da
Subprefeitura. “Deixamos de ser apenas agentes fiscais, como éramos na época da Regional”,
reforça o subprefeito.
Com essas mudanças, a elaboração do Orçamento passou a refletir as necessidades locais.
Antes, a pavimentação de ruas era feita exclusivamente pelas secretarias. “Agora nós fazemos a pavimentação com a ‘turma da
casa’ e em parceria com as secretarias”,
acrescenta ele.
Dessa forma, atos como a execução da obra e sua liquidaçãopara pagamento são feitos diretamente pela Subprefeitura.
João Francisco faz um balanço do período em que governou como administrador regional e
como Subprefeito a partir das mudanças que o novo modelo administrativo trouxe: “O saldo é muito positivo, achamos que estamos no caminho certo. Mas ressaltamos que ainda falta fazer
muito pelo bairro”.
Ele cita que alguns problemas são temporários, como a falta de equipes de tapa-buracos.
“Pedimos desculpas à população pelos transtornos, mas anunciamos que em meados deste mês
já retomamos os trabalhos”.
Coordenadorias - São sete as Coordenadorias que passaram a ser administradas pela Subprefeitura: Educação, Saúde, Administração e Finanças,
Manutenção e Infra-Estrutura Urbana, Planejamento e Desenvolvimento Urbano, Ação Social e a de Projetos e Obras.





Capa |  CIDADE  |  COMUNICAÇÃO  |  CRÍTICA DA CRÍTICA  |  CULTURAL  |  ECONOMIA  |  EDUCAÇÃO  |  ENTREVISTAS  |  ERMELINO MATARAZZO  |  ESPORTES  |  GUAIANASES  |  HISTÓRIA  |  INFORMÁTICA  |  ITAIM PAULISTA  |  ITAQUERA  |  PÁGINA 1  |  POLÍTICA  |  SÃO MIGUEL  |  ÚLTIMAS
Busca em

  
55 Notícias